Adulto Vip » Curiosidades » Shibari e Kinbaru: descubra a origem e o significado dessas práticas japonesas milenares e sua relação com o BDSM

Shibari e Kinbaru: descubra a origem e o significado dessas práticas japonesas milenares e sua relação com o BDSM

1 vote

Você conhece a origem do Shibari? A palavra provavelmente lhe é familiar: aquelas amarrações bonitas e aparentemente difíceis de fazer que algumas pessoas utilizam como parte dos plays de bondage do BDSM? Pois é.

Além de se popularizar cada vez mais o aprendizado desses “nós” para prática, digamos, doméstica, existem diversos movimentos artísticos e ensaios fotográficos que apostam na arte do erotismo com as amarrações. A técnica teve origem no Japão, e analogamente migrou para o ocidente de forma espontânea.

O que pouca gente sabe é que, originalmente, ela servia para amarrar prisioneiros. De forma idêntica, a técnica também pode ser chamada de Kinbaru, especialmente quando relacionada à prática sexual.

No post de hoje vamos falar um pouco mais sobre a origem do termo e como ele se tornou o que é hoje: uma prática sexual e artística que, com dedicação, todos podem aprender.

O significado da prática japonesa mudou ao longo dos séculos. Imagem: pornpics.com

Origem do Shibari

A técnica de amarração com cordas japonesa Shibari ou Kinbaku são derivadas da arte marcial Hojojutsu, do período Edo (1600-1800 d.c). Em suma, ela era usada por samurais para prender e restringir prisioneiros com corda. A ética dos samurais era baseada em honra, ou seja, um tipo de tratamento que garante a dignidade tanto dos seus atos quanto o das outras pessoas.

Sendo assim, os prisioneiros também recebiam tratamento que condissesse com sua honra. Guerreiros eram aprisionados com amarrações que os distinguiam por status e classe do crime cometido. Dessa forma, os samurais realizavam as amarrações corretas e os prisioneiros passavam por humilhação pública – era de conhecimento público o significado das amarrações. Por último, eram punidos com prisão, banimento ou execução.

Diferenças entre Shibari e Kinbaku

Shibari significa literalmente “amarrar”. Já o Kinbaku é a palavra japonesa utilizada para bondage, ou seja, quando essas amarrações tem objetivo sexual. Kinbaru pode ser traduzido também como “bondage bonito”.

Em meados do século 1990, o Kinbaku se popularizou no ocidente sob o nome do Shibari. Alguns estudiosos apontam que isso se deu devido à sonoridade da palavra e maior facilidade de pronúncia pelos países não-asiáticos.

No Japão, existe uma longa tradição com as técnicas de amarração, como resultado, elas são passadas de mestre para discípulo. Tudo é feito sob regras rígidas: tipos de amarração, estética, ordem dos nós, bem como todo um ritual durante o processo. Por exemplo, a restrição dos movimentos das mãos é um dos pontos mais importantes do Shibari.

origem do shibari

A técnica do Shibari também pode ser chamada de Kinbaru (bondage bonito). Imagem: pornpics.com

Shibari e BDSM

Os próprios japoneses perceberam as possibilidades sensuais das amarrações – e até deram um novo nome à prática (Kinbaru). O jogo da restrição física com vergonha emocional faz parte do que hoje chamamos de BDSM. É claro que, assim que a prática se tornasse conhecida por alguns dos membros desse grupo, se espalharia com certa facilidade. E foi o que aconteceu.

Não se sabe ao certo como o Shibari se popularizou no ocidente, mas após os anos 1990, sua prática se expandiu consideravelmente da Europa para os países da américa. Atualmente, as amarrações japonesas são um dos queridinhos do mundo do bondage. Isso se dá principalmente pela técnica misturar o lado artístico com o lado sexual, o que agrada bastante a seus praticantes.

Cada vez mais praticantes de bondagem aderem ao Shibari. Imagem: pornpics.com

O que achou de todas essas curiosidades sobre a origem do Shibari e Kinbaru? Nós adoramos!

Postagens Relacionadas

Comentário Fechado.