Adultos Vip » Sexo » Vício em Sexo: Descubra as causas e tratamentos

Vício em Sexo: Descubra as causas e tratamentos

0 votes

O vício em sexo é um assunto pouco debatido, que pode atrapalhar a vida do indivíduo

O vício em praticar o sexo é conhecido também como hipersexualidade, no entanto, esse problema pode ser nomeado de outras formas como: hipersexualidade patológica, compulsão sexual e etc.

Hollywood já nos brindou com esse tema em algumas obras, contudo, na maioria das vezes o assunto se torna romantizado, quando na verdade pode causar muitos prejuízos para quem vive na pele.

vício em sexo

Fonte: medium.com

Causas do vício em sexo

Apesar de ser um problema clínico, o número de jovens com a sexualidade mais aflorada é cada vez mais elevado. O fato é que o organismo dos jovens está repleto de testosterona, o que pode aumentar o desejo sexual. Portanto, experimentar uma sexualidade de forma saudável e sem prejuízos durante a juventude, deve ser considerado algo natural.

A compulsão causa mudança no comportamento de homens e mulheres, trazendo a necessidade de vários contatos sexuais. O desejo exacerbado, acaba dominando outros interesses, fazendo com que a vida do compulsivo se torne muito ruim em boa parte dos casos.

Entretanto, é preciso descobrir as possíveis causas da sexualidade desenfreada para buscar as melhores formas de tratamento. Dessa forma, descubra alguns motivos que podem gerar o problema:

Fonte: nypost.com

1. Doenças do hipotálamo e das estruturas cerebrais causadas por neuro infecções como meningite e encefalite;

2. Lesões traumáticas ou vasculares do cérebro, tumores cerebrais;

3. Desordens hormonais;

4. Intoxicação por drogas ou envenenamento por monóxido de carbono;

5. Transtornos mentais como esquizofrenia, transtorno de personalidade e outros;

6. Transtornos psicológicos como ansiedade, baixa autoestima e etc.

 

Essas são algumas das causas que podem fazer com que o indivíduo apresente uma compulsão sexual, dessa forma, é muito importante buscar um profissional qualificado para auxiliar na resolução. Ele vai indicar o tratamento mais adequado dependendo de cada caso.

vício em sexo

Fonte: hivplusmag.com

Como diminuir a compulsão sexual

Além de ajuda profissional é importante seguir algumas dicas para começar a mudar a rotina. Assim, confira algumas que podem te dar uma forcinha:

Pratique atividades físicas

A atividade física libera hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar, portanto, de preferência pela manhã, comece uma rotina de exercícios.

Procure grupos de apoio

Seja presencialmente ou pela internet, existem grupos de apoio e fóruns para quem sofre com o problema. Debater com outras pessoas que experimentam o mesmo pode ajudar a encarar de forma melhor.

Pratique ioga

Hoje em dia muitas pessoas estão procurando o ioga como forma de se livrar do estresse diário e melhorar a qualidade de vida. Essa atividade possui inúmeros benefícios, como a melhora da concentração, alívio da ansiedade, entre outros.

Beba chás ou ervas que causem relaxamento

Existem chás que podem aliviar o estresse e ajudar nesse processo como: Chá de lavanda, camomila, valeriana, maracujá e alecrim.

 

Hipersexualidade entre os famosos

vício em sexo

Fonte: nypost.com

Você já deve ter escutado relatos de famosos que revelaram sofrer com a compulsão sexual, algo que chegou a trazer muitos prejuízos para a vida deles.

Michael Douglas

O famoso ator confessou há uns anos sua incapacidade de controlar seus desejos sexuais, algo que levou ao fim o seu primeiro casamento.

David Duchovny

Conhecido por interpretar o agente Fox Mulder em Arquivo X, o famoso foi mais um que lutou para superar seus impulsos sexuais e buscou ajuda profissional para resolver o problema.

Charlie Sheen

Conhecido por suas inúmeras polêmicas, o ator revelou que chegou a dormir com mais de 5 mil mulheres. Entretanto, para ele, o vício em sexo era o menor dos seus problemas.

Bill Clinton

O ex-presidente americano, revelou ser viciado em sexo para justificar a traição em seu casamento com Hillary Clinton. Bill se relacionou com a secretária Monica Lewinsky, em um caso que gerou bastante polêmica na época.

Embora a hipersexualidade não seja tão incomum, especialistas afirmam que é importante saber diferenciar uma sexualidade compulsiva de uma vida sexual normal com desejos um pouco mais elevados.

Se gera prejuízos, falta de apego emocional, foco no trabalho, estudos e em outros setores, o ideal é buscar ajuda médica e terapêutica a fim de resolver essas questões.

Postagens Relacionadas

Comentário Fechado.